Açúcar vs Adoçante

Açúcar vs Adoçante

Utilizados desde a pré-história, os açúcares fazem parte da nossa alimentação diária seja por adição ou natural dos alimentos.

Para fazer frente a este potenciador de sabor surgiu o adoçante de forma a diminuir os malefícios do açúcar.

O Açúcar

Caracteriza-se pelo seu elevado valor energético (kCal), sendo este proveniente na totalidade de hidratos de carbono e por isso chamado um alimento fornecedor de calorias “vazias”, ou seja, sem interesse nutricional.

Este produto está hoje em dia associado ao aparecimento de vários problemas de saúde, nomeadamente, diabetes, excesso de peso e obesidade, cárie dentária… Isto deve-se ao facto de a utilização de açúcar na alimentação ser cada vez em maior quantidade, para melhorar o sabor dos alimentos e obtermos mais prazer nas nossas refeições, coisa que não se verificava nos nossos antepassados e o açúcar era utilizado em doses reduzidas.

Embora provenha da cana-do-açúcar, podemos encontrar vários tipos de açúcar de adição, sendo diferenciados apenas pelo grau de refinação. Desde do mascavado ao branco de mesa, vai perdendo valor nutricional.

Açúcar mascavado

O tipo de açúcar que sofre menos alterações, não passando por qualquer tipo de processo de refinação. É a melhor opção para quem não consegue deixar o açúcar e não está em dieta de restrição de açúcares simples.    

Açúcar refinado

Açúcar mais conhecido e utilizado no dia a dia, também chamado de açúcar branco. O mais rico em calorias, é o açúcar no seu grau mais refinado e que mais leva a alterações dos níveis de insulina (elevado índice glicémico) no organismo e potencia a absorção deste pelas células levando ao seu armazenamento sobre a forma de gordura. Completamente contra indicado para diabéticos.

Presente na maioria dos alimentos industrializados como doces, sobremesas, iogurtes, gelados, refrigerantes e sumos.  

Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde) deveremos consumir o máximo de 10% do nosso consumo energético adequado em açúcares refinados. O consumo abaixo de 5% nos permite uma melhoria no estado de saúde e prevenção de patologias.

Adoçantes

No sentido de combater o excesso de açúcar na alimentação e os malefícios que dele advêm, a indústria dos adoçantes apresenta cada vez mais soluções na forma líquida, pastilhas, pó para permitir a sua utilização como adição ou como ingredientes de doces caseiros e outros pratos.

As suas vantagens em relação ao açúcar é que tem um valor energético quase nulo e potenciam o sabor de igual forma, mas com a necessidade de utilização de menor quantidade.

Para além disso, os adoçantes não causam alterações glicémicas uma vez que não provocam alterações na libertação de insulina (hormona produzida pelo pâncreas que permite a regulação dos níveis de açúcar adequados no sangue).

Podem ser naturais ou artificiais sendo os mais conhecidos a stevia, aspartamo, sacarina, xilitol entre outros.

No entanto como qualquer outro produto tem o seu impacto negativo no organismo humano. Embora não altere as glicemias sanguíneas e logo não estimula a absorção de açúcar e gorduras pelas células, quando consumido excessivamente por muito tempo, pode causar destruição da flora intestinal e levar por sua vez, ao aumento da absorção de nutrientes do tubo digestivo como gorduras, proteínas e outros hidratos de carbono, levando ao aumento de peso.

Assim será uma boa opção para diminuir o consumo de açúcar quando somos diabéticos ou estamos a cumprir uma dieta com restrição energética, mas sempre em doses aconselhadas pelo teu nutricionista, evitando o consumo de alimentos altamente ricos em adoçantes.

De forma a aumentar o leque de produtos saudáveis no mercado e com vista a diminuir o consumo desnecessário de açúcares brancos e adoçantes, os produtos GRANJO são isentos de qualquer açúcar ou adoçante de adição, sendo apenas adoçados pelos próprios açúcares presentes nos ingredientes ou, em alguns produtos, com açúcar de côco (derivado da fruta – côco).

O açúcar de côco é um açúcar natural cujo índice glicémico é bastante menor que o do açúcar branco ou qualquer outro tipo, não causando tanta variação das glicemias e logo aparecimento de diabetes e obesidade. Este também não tem associados os malefícios dos adoçantes.   

Qual preferir? Açúcar vs adoçante?

Tanto um como outro deve ser consumido com moderação e de acordo com o teu metabolismo e organismo, sendo uma decisão tua e do teu nutricionista.

Na dúvida opta por produtos isentos de ambos, pois serão a opção mais correta.

 

Pedro Lourenço (2061N)

WIEMSPRO PAREDES

Artigos relacionados

dieta alcalina dieta anti-inflamatoria
Dieta Alcalina, uma dieta anti-inflamatória
É correto afirmar que a Dieta Alcalina é uma Dieta Anti-inflamatória? Neste artigo evou explicar porque considero a dieta alcalina uma dieta anti-inflamatória. Mas antes, é necessário entender o que é...
gorduras saudáveis
O lado bom das gorduras: Omega-3 e Omega-6
As gorduras saudáveis Ómega-3 e Ómega-6   Para cobrir as tuas necessidades energéticas, é necessário o recurso aos macronutrientes existentes nos alimentos: Proteínas, Hidratos de Carbono e Gorduras. Sim, e...
Vitamina B12
Vitamina B12: micronutriente macro importante
Vitamina B12 : micronutriente mas macro importante O organismo humano é um complexo de órgãos e tecidos cujo bom funcionamento depende de substâncias intrínsecas e extrínsecas. A alimentação é uma...