Dieta Low Carb – A dieta da moda

A dieta Low Carb, como o nome indica, é uma dieta que consiste na restrição energética à base da diminuição do aporte de hidratos de carbono.

Esta dieta à muito tempo que é  a base do plano de emagrecimento, instituído por muitos nutricionistas, estando ao longo do tempo a sofrer alterações com a restrição cada vez mais acentuada deste estrato energético.

A dieta standard ou mediterrânica considera que devemos ingerir entre 45 a 50% das calorias diárias através dos hidratos de carbono, sendo que qualquer restrição em Hidratos de carbono no dia-a-dia, abaixo deste valor, é considerado uma dieta Low Carb.

Este tipo de restrição é utilizada principalmente em dietas de perda de peso, pois tem como princípio a diminuição de níveis circulantes de glicose sanguínea, obrigando o organismo a utilizar os estratos energéticos secundários acumulados (reservas) no organismo para formação de energia celular. Estes estratos são as gorduras e numa fase posterior, as proteínas.

Desta forma a restrição média de hidratos de carbono, vai permitir que haja mobilização de gordura acumulada para formação de energia e desta forma perda de massa gorda no organismo, levando à perda de peso sustentada, ou seja, saudável.

Não podemos esquecer também que a diminuição do consumo de hidratos leva à diminuição da acumulação de água nas células e por sua vez, perda de peso e volume.  

No entanto esta dieta pode ser levada ao extremo e causar a restrição total ou quase total da ingestão de Hidratos e desta forma causar uma perda de peso mais acentuada e rápida.

Mas será esta uma perda de peso saudável?

De todo que não. Nestes casos a perda de peso torna-se evidente e rápida devido à perda de massa gorda em conjunto da perda de massa muscular, pela utilização de proteínas armazenadas no músculo, levando à desnutrição proteica, perda de força, fraqueza e fadiga.

Devo então utilizar esta dieta para perda de peso? COMO?

Sim, a dieta low carb é aconselhada para perda de peso, desde que orientada por um nutricionista que faça os cálculos das necessidades básicas de hidratos de carbono para o metabolismo basal.

A dieta Low carb deve restringir totalmente hidratos de carbono simples causadores de picos de insulina, hormona esta que permite a entrada da glicose (açúcares) na célula e leva ao armazenamento da glicose em excesso sob a forma de gordura nos adipócitos.

Exemplos de açúcares simples: açúcar, marmelada, geléia, doces de pastelaria, confeitaria e caseiros.

NOTA: embora a fruta seja constituída por um açúcar simples, frutose, deve ser consumida com moderação (a sua constituição em fibra diminui a absorção dos açúcares).

Posteriormente deve ocorrer a restrição moderada e adequada ao teu metabolismo dos hidratos de carbono complexos: arroz, massa, pão, bolachas e cereais.

A ingestão destes deve ser distribuída ao longo do dia de acordo com o teu estilo de vida e actividade física havendo sempre uma restrição mais acentuada no período pós trabalho, visto o corpo entrar no modo de “poupança” de energia, pela diminuição do gasto energético.

Para que possas ter sucesso com a dieta low carb não deves descorar da necessidade de controlar a ingestão de gorduras, optando sempre pelas poli insaturadas, como as provenientes do azeite, peixes gordos e frutos secos e evitar as gorduras saturadas presentes nos alimentos ou de adição como as presentes nas carnes vermelhas, óleos e bolachas e produtos industrializados.

Alimentos a manter na base da dieta low carb:

– carnes magras (frango, peru, coelho);

– peixes;

– legumes e saladas;

– fruta q.b;

– arroz e massas integrais de acordo com o prescrito;

– leite queijo e iogurtes magros.

 

O grande problema destas dietas é que por vezes, a pouca variedade alimentar leva a que a alimentação se torne chata e cansativa, provocando a desistência.

Para te permitir  variar mais sem estragares as tuas refeições, a GRANJO tem alguns produtos que facilmente podes introduzir nos teus lanches:

 

GRAN RISE – CÔCO E GINKGO BILOBA

GRAN RISE – BETERRABA E MORINGA

GRAN RISE – ESPINAFRE E MAÇÃ

 

Estes podem ser utilizados nas refeições intermédias junto com 1 queijo fresco, por exemplo, de forma a tornar a tua refeição pobre em hidratos de carbono e rica em proteína.

 

Aproveita o verão e começa já a tua dieta com a ajuda no teu nutricionista,

 

Pedro Lourenço (2061N)

WIEMSPRO PAREDES

Artigos relacionados

dieta alcalina dieta anti-inflamatoria
Dieta Alcalina, uma dieta anti-inflamatória
É correto afirmar que a Dieta Alcalina é uma Dieta Anti-inflamatória? Neste artigo evou explicar porque considero a dieta alcalina uma dieta anti-inflamatória. Mas antes, é necessário entender o que é...
gorduras saudáveis
O lado bom das gorduras: Omega-3 e Omega-6
As gorduras saudáveis Ómega-3 e Ómega-6   Para cobrir as tuas necessidades energéticas, é necessário o recurso aos macronutrientes existentes nos alimentos: Proteínas, Hidratos de Carbono e Gorduras. Sim, e...
Vitamina B12
Vitamina B12: micronutriente macro importante
Vitamina B12 : micronutriente mas macro importante O organismo humano é um complexo de órgãos e tecidos cujo bom funcionamento depende de substâncias intrínsecas e extrínsecas. A alimentação é uma...