Glúten: inimigo da alimentação saudável?

Tem sido tema de vários artigos e assunto do momento em tudo o que se relacionada com nutrição, sendo na maioria das vezes apontado como um inimigo alimentar para a saúde, que aos poucos vai destruindo o bem estar da sociedade. Mas será o glúten tudo isto?

 

O glúten, embora associado a alimentos principalmente ricos em hidratos de carbono é um conjunto de duas proteínas de origem vegetal (gliadina e glutenina) que ligadas entre si, dão ao glúten uma função elástica e de ligação, permitindo dar a consistência aos alimentos em que se encontra.

Principalmente presente nos cereais como o trigo, centeio, espelta e cevada de forma natural, serve muitas vezes de aditivo na industria alimentar devido às funções referidas.

O glúten é cada vez mais associado à obesidade e excesso de peso, como sendo um causador da elevação do peso ponderal. Dietas sem glúten são associadas a emagrecimento. Mas será esta proteína responsável pelo aumento de peso?

Pode dizer-se que esta afirmação é falsa, um mito alimentar. O glúten não é o culpado pelo aumento de peso, mas sim a composição em gordura e hidratos de carbono constituintes dos alimentos que têm glúten: pão, massa, bolachas, pizzas, hambúrgueres, produtos processados.

O individuo saudável está geneticamente preparado para degradar o glúten de forma natural, não causando este constituinte alimentar qualquer sinal, sintoma ou patologia quando consumido.

No entanto, com a contante mudança genética dos produtos de origem vegetal e o aumento da adição deste como aditivo leva a que o organismo não esteja preparado para a degradação de tal quantidade, podendo provocar mau estar, sensação de barriga inchada, diarreias ou obstipação. Isto denomina-se Intolerância ao glúten.

Por outro lado a doença celíaca é quando o individuo tem uma alteração nos genes (de nascença)  que quando a mucosa intestinal é colocada em contacto com o glúten leva a uma reacção de defesa auto-imune, provocando lesão e degradação desta mucosa. Por isso doentes celíacos não puderem consumir alimentos com glúten.

Alimentos isentos de glúten:

. Frutas frescas e secas;

. Produtos hortícolas;

. Arroz e derivados;  

. Milho e derivados;

. Soja e derivados;

. Carnes e peixes frescos e congelados;

. Açúcar, chocolate, cacau, gelatinas e sorvetes;

. sal

. Óleos, azeite e margarinas.

 

De forma a que os produtos GRANJO não sejam uma restrição para quem manifesta qualquer sintomatologia quando em contacto com o glúten, por uma intolerância alimentar, toda a nossa GAMA de produtos são têm presentes ingredientes naturalmente sem glúten, desde as proteínas concentradas aos Grancakes, passando pelos Gran Rise sem existir aumento do teor de gordura.

Encara o glúten como bom ou mau dependendo da tua tolerância ao mesmo.  A sua ausência não te prejudica, mas a sua presença pode ser indiferente para ti. Avalia-te.  

 

Do teu nutricionista,

Pedro Lourenço (2061N)

Wiemspro Paredes

Tags

Artigos relacionados

dieta alcalina dieta anti-inflamatoria
Dieta Alcalina, uma dieta anti-inflamatória
É correto afirmar que a Dieta Alcalina é uma Dieta Anti-inflamatória? Neste artigo evou explicar porque considero a dieta alcalina uma dieta anti-inflamatória. Mas antes, é necessário entender o que é...
gorduras saudáveis
O lado bom das gorduras: Omega-3 e Omega-6
As gorduras saudáveis Ómega-3 e Ómega-6   Para cobrir as tuas necessidades energéticas, é necessário o recurso aos macronutrientes existentes nos alimentos: Proteínas, Hidratos de Carbono e Gorduras. Sim, e...
Vitamina B12
Vitamina B12: micronutriente macro importante
Vitamina B12 : micronutriente mas macro importante O organismo humano é um complexo de órgãos e tecidos cujo bom funcionamento depende de substâncias intrínsecas e extrínsecas. A alimentação é uma...