Obstipação: O pesadelo intestinal

Embora não haja uma definição concreta para a obstipação, esta pode ser definida como uma condição fisiológica caracterizada pela defecação inferior a 3 vezes semanais ou evacuação com fezes duras, secas ou pequenas que tornam difícil a sua passagem.

Podendo ser uma constante ou sintoma agudo, aparece em qualquer idade, sexo ou raça, causando sensação de desconforto, barriga inchada, má disposição e muitas vezes vómitos.

Não considerada uma doença, mas sim um sintoma, a obstipação pode ser causada por diversos fatores que direta ou indiretamente influenciam o bom funcionamento do intestino delgado e grosso, nomeadamente:

. Estilo de vida sedentário;

. Evitar a defecação quando se tem vontade;

. Alguns medicamentos;

. Patologias;

. Dieta e baixo consumo de água.

De todos os fatores apresentados, existem dois que deves alterar já e melhorar esta condição caso sofras dela: o estilo de vida sedentário e a alimentação/água.

A prática de exercício físico para além de inúmeras vantagens no teu dia-a-dia, vai ter um impacto positivo na obstipação. Capaz de aumentar ligeiramente a motilidade intestinal, vai permitir que a passagem das fezes pelo intestino não leve a obstruções (diminui a probabilidade).

No entanto esta vantagem está diretamente ligada à alimentação e consumo de água, pois só ajustando a dieta, principalmente no consumo de fibras, é que poderás tirar proveito das vantagens do exercício físico para o teu trânsito intestinal.  

O padrão alimentar dos portugueses é caracterizado pelo baixo consumo de fibras (cerca de 15g a 18g/dia de fibra) e consumo elevado de gorduras animais e açucares que atrasam a digestão e passagem no intestino, promovendo a obstipação.

 

Que quantidade e tipo de fibra devo ingerir?

As fibras podem ser definidas como sendo hidratos de carbono cuja digestão é impossível e assim passam intactas no organismo. Apenas estão disponíveis em alimentos de origem vegetal.    

Uma dieta rica em fibra deve fazer parte do teu dia-a-dia, assegurando o consumo de cerca de 28-30g de fibra/dia (DDR – 12-15g/1000Kcal ingeridas).

Nos alimentos podemos encontrar 2 tipos de fibras:

. Fibras solúveis: As fibras solúveis atraem a água e transformam-se num gel durante a digestão e encontram-se principalmente nos frutos, hortícolas, leguminosas e alimentos que contém aveia, cevada ou centeio. Têm sobretudo efeitos sobre o tempo de digestão no estômago e no intestino delgado (o tempo de absorção dos nutrientes no intestino delgado torna-se mais longo)

. Fibras insolúveis: encontram-se principalmente nas hortaliças e outros hortícolas e nos cereais inteiros e nos seus derivados integrais (ex. pão escuro, arroz e massas integrais, cereais de pequeno almoço integrais não açucarados, etc.). A este tipo de fibras atribui-se um papel preponderante sobre a atividade do cólon (intestino grosso), uma vez que são responsáveis pelo aumento do volume e fluidez das fezes e pelo estímulo da motilidade intestinal.

Com os padrões alimentares alterados devido à correria do dia a dia, a ingestão aconselhada de fibra torna-se um obstáculo ao cumprimentos de uma dieta equilibrada, pois isto obrigaria, por exemplo, ao consumo num dia de: 400g de legumes/dia (200g ao almoço + 200g ao jantar) + 80g de leguminosas + 3 peças de fruta média + 80g de arroz ou massa integrais + 50g de frutos secos.

Desta forma, para te permitir atingir as tuas necessidades de fibras alimentares, a GRANJO desenvolveu a sua gama de produtos baseada em ingredientes de origem vegetal para que todos os nossos produtos sejam enriquecidos em fibra solúvel e insolúvel.

A utilização dos G-Power para além de potenciar o sabor da tua refeição vai permitir aumentares a sua riqueza nutricional em proteína e principalmente em fibra.

G-Powder Psylium e G-Power Cacau são ótimos para adicionares ao iogurte ou leite de pequeno-almoço aumentando o teor em fibra desta refeição em 3,7g de fibra.

Importante referir que deverás ter um padrão alimentar variado de hortícolas, frutos e produtos integrais utilizando os nossos produtos como suplementos e não como substituto alimentar, pois só assim poderás tirar proveito de todas as vantagens apresentadas.

E então, vais cuidar de ti?

 

Do teu nutricionista,

Pedro Lourenço (2061N)

Wiemspro Paredes

Artigos relacionados

dieta alcalina dieta anti-inflamatoria
Dieta Alcalina, uma dieta anti-inflamatória
É correto afirmar que a Dieta Alcalina é uma Dieta Anti-inflamatória? Neste artigo evou explicar porque considero a dieta alcalina uma dieta anti-inflamatória. Mas antes, é necessário entender o que é...
gorduras saudáveis
O lado bom das gorduras: Omega-3 e Omega-6
As gorduras saudáveis Ómega-3 e Ómega-6   Para cobrir as tuas necessidades energéticas, é necessário o recurso aos macronutrientes existentes nos alimentos: Proteínas, Hidratos de Carbono e Gorduras. Sim, e...
Vitamina B12
Vitamina B12: micronutriente macro importante
Vitamina B12 : micronutriente mas macro importante O organismo humano é um complexo de órgãos e tecidos cujo bom funcionamento depende de substâncias intrínsecas e extrínsecas. A alimentação é uma...